Como fazer uma pausa no trabalho

Amanhã é greve geral. E eu aqui morrendo de tédio. Cheguei ao ponto da minha vida, que só estou tranquila quando estou enlouquecendo de trabalho. Sei que preciso pegar leve, relaxar. Mas trabalho por conta, mato um leão por dia. Não consigo me dar ao luxo de esperar um dia passar para pensar em uma nova possibilidade, em uma nova negociação, em uma outra forma. Estou em Constante planejamento. 

Uma pausa para o café, é motivo para vislumbrar uma nova ideia, uma nova conexão para uma transação, um novo negócio. Enfim. Uma hiperatividade tão gigante, que num fim de dia de chuva, onde não há muito o que fazer, eu fico assim. Carente de trabalho. 

Não que eu não tenha o que fazer, mas é que sentar e assistir uma tv, me parece tão relaxante que não me atende. Quero estar em movimento, buscando, criando coisas. Sinto como se estivesse levemente procrastinando. Mesmo sendo​ minha própria chefe. Não me permito relaxar, tenho medo de amolecer. É preciso produzir, fazer, vender.

Mas o que se há de fazer. Vou aproveitar esse tempo para o ócio criativo. E traçar novas metas, novos planos B. Porque a gente pode não ter grana, mas conhecimento, vai se buscando.

Ah, essa minha vida empreendedora maravilhosa. #vida #trabalho.

De que lado você está?

222

O mundo se divide em dois grupos: os que produzem coisas pro mundo e os que criticam a produção dos outros. Porque as pessoas que realizam coisas estão ocupadas demais para criticar o trabalho alheio. Antes das redes sociais existiam as tias chatas, que viviam te questionando porque você não isso, porque não aquilo, enfim, uma série de questionamentos que ia desde criticar o vizinho que não varria sua calçada até a comida gordurosa que fazia todo mundo engordar.

Poucas eram as pessoas que varriam suas calçadas e preparavam comidas saudáveis para si e sua família. Mas esse é só um exemplo. Mas esse texto não é para reclamar do alheio. Muito pelo contrario, é apenas um questionamento. Porque a gente reclama do governo, a gente reclama das ferocidades no trânsito, a gente reclama da corrupção na política. Mas o que estamos fazendo para mudar o nosso mundo? Mudar o mundo não é mudar o Brasil não..

Estou falando de mudar o seu mundo, seu quarto, sua casa, seu quintal. Porque se você não colabora na sua casa tirando o lixo do banheiro da sua casa, como pode fazer reclamações da saúde pública se você não está cuidando da saúde pública do seu mundo, da sua casa, e do seu reino que é sua família: sua mãe, seu pai, sua esposa, filhos, marido, primos, avó ou seja lá com quem você mora.

Como se pode reclamar da violência no trânsito se você não dá a vez? Se você acelera quando alguém dá seta, se ultrapassa pelo acostamento achando que sua pressa é maior que a do outro. Lembra quando a tia Cotinha do ensino fundamental falava pra você esperar sua vez na fila? Que? Você faltou nesse dia?

Hoje em dia eu percebo muitas pessoas se importando com mudanças de comportamento, muito mais do que nos anos 90, muito mais do que nos anos 2000, muito mais do que nos anos 10. Muitas pessoas da minha geração reconhecendo que há um problema e que ele vem de cada um, vem de dentro de nós e mudando seu jeito de ser. Mas mesmo vendo uma mudança geral, uma positividade grande na minha geração, (o que me orgulho muito), ainda há um longo caminho a se percorrer no que se trata das gerações vazias, que são as gerações que nasceram nos anos 2000, e 2010. Porque foi exatamente essas gerações que foram afetadas diretamente pela falta de valores. E a culpa é minha?

A culpa é de todos nós.  Que tornamos hábitos ruins como hábitos normais e essa geração aprendeu errado. E eu acho muito lindo essa conscientização e esse movimento que vejo não só nas redes sociais, mas quando ando por aí, que a grosseria ainda existe, mas sempre tem uma gentileza para contrabalançar.

Sempre tem alguém para reclamar do que tá errado, mas tem muita gente que pega o papel do chão e joga na lixeira. Então fala pra mim. De que lado você está?

 

 

Acabe com a mentira

616

Não mentir é o oitavo mandamento de Deus.

A mentira é uma teia. Quanto mais lutamos para sair dela, mais nos enrolamos. A mentira é destrutiva, dissolve a confiança, nunca é restaurada. A mentira não se sustenta. Ela precisa de muletas, muletas morais, sentimentais. O mentiroso usa da sua boa vontade para enganar; mina a sua fé na humanidade. Mas a verdade sempre liberta, independente do tamanho da teia, a verdade sempre desenrola os nós. Sempre!

Quando se mente ao telefone, principalmente na frente de uma criança, você está legalizando a mentira, está ensinando àquela criança que mentir é normal. E não adianta dizer que é para se favorecer no trabalho, ou que é para não magoar alguém. Mentir é sempre mentir.

Se você precisa mentir para se relacionar com alguém, caia fora! Se precisa mentir para se manter no meio profissional, está exercendo seu trabalho errado. Se mente para sua família, ela logo vai ruir, entre todos ou somente com você. Se mente sobre seus estudos alguém vai descobrir. Enfim, a mentira nunca permanece por muito tempo. Alguém um dia descobre. Se precisa mentir sobre qualquer coisa que está fazendo é porque sabe que é errado. Diga a verdade ou pare de fazer agora.

A decepção é infinitamente maior do que o perdão que um dia você ganharia se dissesse a verdade. Muitas mentiras são descobertas o tempo todo, e muitas ainda permanecem de pé.

Eu não gosto de mentiras. Meu pai mentiu a vida inteira, tive vários relacionamentos com mentirosos profissionais. Identifico mentira de longe. Nos meus relacionamentos com mentirosos, muitas vezes sabia que estava sendo enganada, mas queria amor. Isso é muito triste. Isso também é mentir. Mentir para si mesma. Por isso também me considero uma mentirosa profissional, sou a melhor em enganar a mim mesmo. Mas já não tenho o mesmo talento para enganar o próximo. Não consigo mentir.

Já fui vítima de uma grande mentira. Uma emboscada profissional que me deixou desacreditada. Essa grande mentira arrasou minha vida, por muito tempo, e a partir dessa mentira, eu passei a temer as pessoas, e dessa mentira já se passaram muitos anos, e eu ainda temo as pessoas.

Há pouco tempo fui me dando conta de varias pequenas mentiras, que também mudaram minha vida. E percebi que a gente nunca se protege de uma mentira, ou de um grande mentiroso, mas eu posso lutar contra isso: Posso ser sincera, mesmo que doa. E posso ensinar meus filhos que não há uma mentirinha ou uma grande mentira, mentir e sempre errado. Eu sempre defendo ensinar pelo exemplo.

Algumas pessoas acham que fazer isso é ser hipócrita, porque ninguém é certo o tempo todo. Mas eu quero ser, e isso já é um bom pedaço do caminho. Não há erro em querer ser ético. Me chamar de santinha não é um xingamento, para mim é até lisonjeiro. Sinal de que estou no caminho certo.

Ensine pelo  exemplo. Seja sincero. Sempre!

10 anos de felicidade

Downloads1

Hoje fazem 10 anos que minha vida mudou para sempre.

Começou com um enorme mal estar, um enjôo inacabável que perdurou por todo o processo da sua formação. Foi uma época onde aprendi (á  força) a ser mais humilde, a ser mais branda e compreensiva.Por sua conta eu aprendi uma das coisas que mais me vale hoje: aprendi a compreender a dificuldade das pessoas, que cada pessoa tem uma história e que essa história é que determina a forma que ela vê o mundo, e que a gente tem que ser compreensivo com as dificuldades e facilidades do outro.

Daí, depois de ver meu corpo ficar imenso, de ter tido várias sensações diferentes e inusitadas como sentir você nadar dentro de mim,você chegou.Eu olhei pra você, me emocionei e com o tempo fui começando a te amar…até o dia em que eu me apaixonei por você, perdidamente.

E eu encontrei em você o companheirismo que eu nunca tinha tido e que eu procurava. E tava bem ali, pertinho. Agora, e sempre, você émeu grande companheiro, meu amigo de aventuras. É com você que eu gosto de conversar e contar coisas do nosso mndo nerd que só a gente entende. É pra você que eu quero ser uma pessoa melhor, é com você que os passeios são divertidos, sem você a minha vida não tem nenhum sentido, nenhuma graça.

Filho, você é a minha historia de amor mais bonita, e é você que eu quero fazer feliz até o dia em que você encontrar o seu próprio caminho, e sei que vai escolher o caminho certo, porque você sempre faz boas escolhas.

Há 10 anos você entrou na minha vida e deu todo sentido a ela, me deu uma missão, me deu um objetivo. Filho, eu te desejo muitas felicidades, porque você merece o mundo inteiro de grandes alegrias!

Tudo que quero conquistar é com você, por você e pra você. Te amo!

Retrospectiva 2012 by Daniela Ferpe

P9020161Esse ano, foi o ano da minha vida. Foi um dos anos que eu mais realizei projetos pessoais, o ano que eu mais construí coisas, relações e mais cresci como pessoa. Sei que como ser humano, ainda falta muito pra melhorar, mas já pude perceber em mim, um desprendimento maior para muita coisa.

Ainda falta eu me livrar dos 3 TAS que me prejudicam (egoisTA, PessimisTA e ingraTA). Sei que por muitas vezes eu não consigo me acostumar com a grande vida que eu tenho agora, às vezes sinto falta da pseudo segurança que tinha minha vida pequenininha. Mas faço um esforço enorme pra me acostumar com a grandeza que minha vida adquiriu.

IMG00019-20120508-1729

Este ano eu trabalhei no consulado americano, encontrei o homem da minha vida numa noitada na Lapa – RJ, me casei, fui morar numa casa maior do que eu conseguisse deixar em ordem, tive mais 3 filhos em menos de 1 mês, fui demitida do emprego da inha vida e descobri que trabalhar pra si é melhor que ter um chefe.

Arrumei um marido que é um chefe, e  esse se tornou um sócio, abri uma produtora, me descobri uma vendedora, aprendi a ser dona de casa, aprendi a cozinhar, me mudei pra outra casa imeeeeeesa, que definitivamente não consigo dar conta mas adoro morar nela, mesmo bagunçada.

391390_428116497226914_457770769_n (2)Troquei um Kadett velho por um Passat Alemão, ganhei do meu marido um Peugeot 306 SW, e por fim transformei meu lindo carrinho em um bar, e agora trabalho num empreendimento de família: da minha família.

 

 

 

P8120195Encerro o ano cansada, cheia de dívidas e com uma enorme satisfação de ter uma família linda, ter muito trabalho e muito, muito feliz! Eu nunca vou esquecer o ano em que o mundo ia acabar, mas que pra mim foi o ano onde tudo começou!

 

 

P9020100

IMG00129-20120415-1356

394362_397876163584281_1710874249_n

Leia também!

Retrospectiva 2009

Retrospectiva 2011

32 anos

PB140329

É muito mais do que fazer 15 anos duas vezes, ter 32 anos é a idade para estar bem sucedido, com carro do ano e com malas prontas para fazer uma viagem internacional.

Eu nunca viajei, não tenho carro do ano mas me considero imensamente bem sucedida. Alcancei o estágio máximo da minha felicidade, organizei para mim uma estrutura de vida maravilhosa, porque tenho uma família igualzinho de filme, com direito a pastel na feira aos domingos e shopping no meio da semana. Um marido que me ama e filhos a dar com o pau!

Profissionalmente também estou no melhor momento, principalmente por não ter carteira assinada, e não bater mais cartão. Hoje trabalho pra mim e pra minha família.

Intimamente também estou no meu melhor momento, pois tenho me desligado de coisas ruins, de sentimentos ruins, de pessoas ruins, e ficando só com as coisas boas. Acho que isso é maturidade, é filtrar as coisas e extrair delas o que tem de melhor!

Tudo isso não quer dizer que eu não tenho dívidas, ou que eu não tenho problemas, mas a maturidade me trouxe segurança e a percepção de que meu copo está sempre meio cheio. Toda essa segurança não quer dizer que eu sou uma Miss Brasil, mas tenho a consciência de que tudo que eu como vai gerar um número maior de manequim a cada primavera, mas se minha grana pagar uma calça 46 hoje e uma 48 amanhã e um spa quando eu ganhar na megasena, isso é sucesso! Porque mesmo que meu quadril esteja uma imensidão, meu cabelo pode sempre ficar melhor!

Eu adoro fazer 32 anos, adoro receber os parabéns com a unha pintada de melancia. Adoro quando meus filhos limpam  a casa e meu telefone toca o dia todo! Para todas essas coisas eu só tenho uma coisa a dizer: Obrigada Deus!

Voltando ao trabalho

Depois de mais de um ano desempregada, de um longo processo seletivo e uma expectativa maior ainda, volto a trabalhar. Isso me inspira imenso,  porque eu vejo pessoas, coisas, situações, vejo o mundo em movimento como há muito tempo não via. Todo dia tem um fato novo, um transeunte que passa, uma coisa bonita que eu acabo querendo, novas maneiras de falar, novos trejeitos, as interações com pessoas novas, novos idiomas, novas sensações.

Claro que nem tudo é tão bom assim. É preciso abrir mão do dengo da família e dos abraços dos filhos. Confesso que ainda me sinto dividida com toda essa emoção, o eterno medo do que é novo e a insegurança que visto como um casaco todo dia ao acordar ainda me fazem vacilante nas colocações e no modo tímido de agir. Mas nada que uma longa observação do ambiente não resolva.

A cada madrugada que vejo o sol nascer da estrada para ir trabalhar, percebo que ainda há muita vida pra viver, e minha filosofia de “hoje é um dia a menos” nunca esmaece. No trabalho, uma imensa torre de babel me anima a conhecer cada vez mais coisas. Em casa, o frio ainda me amedronta juntamente com o tempo que não melhora.

Sempre me entristeço em dias frios.