Se trata de fazer a diferença

Eu não conheço tudo. Não sou formada, não tenho um diploma. É isso é uma coisa que realmente me incomoda. Mas sou muito feliz de uma maneira geral. Sou feliz quando uma pessoa admira tanto meu conhecimento por alguma coisa, que mesmo tendo um diploma, vem me consultar. Eu fico muito feliz de dividir conhecimento, de ajudar alguém a realizar alguma coisa. Eu me sinto muito realizada quando percebo que tornei o dia de alguém melhor. Eu acho que é isso que nos torna melhores. Não é sua ocupação, ou sua conta bancária, ou quanto você pode comprar que te torna uma pessoa, uma pessoa feliz, uma pessoa importante. Porque isso, qualquer um que consiga dinheiro pode fazer. Mas fazer a diferença na vida de alguém, ser caridoso, humano, empático, isso só as pessoas especiais fazem. Eu me sinto uma dessas pessoas. 

Então, podem tentar me diminuir por eu não ter um diploma, ou por eu não ter uma profissão ou um emprego, ou ainda, por eu não te dinheiro, porque eu tenho uma coisa que talvez você não tenha: amigos, amor, humanidade!
Um bom fim de semana. #maisamorporfavor

Acredite em você e seja feliz!

Pela primeira vez na minha vida estou totalmente convicta da minha decisão!

Trabalhar com o que gosta, amar o que se faz é um fator muito importante para a felicidade. E é isso que todos buscam, no final das contas. Ser feliz! Hoje, eu sou brecholeira!

Eu sempre acreditei nesse meu sonho, mas nunca tive garra suficiente para investir bravamente nisso. Mas as adversidades me deixaram mais forte! Antes, eu acreditava muito que só conseguiria controlar meu dinheiro se trabalhasse de carteira assinada. Tinha dificuldade de juntar dinheiro se ele chegasse a conta gotas.

Hoje, meu dinheiro pinga de R$5 em R$5 reais e consigo administrar bem, pagar as contas e alimentar meus sonhos e meus filhos.

Existem várias formas de conseguir satisfação profissional. Estudando para um concurso, sendo promovido, atuando com seus conhecimentos de ofício ou dando vazão ao que acredita. No meu caso foi isso. Aliei a necessidade com a oportunidade e consegui investir em uma coisa que sempre quis fazer, que é trabalhar com brechó.

Ouvi muitas pessoas do ramo, aprendi a conseguir boas mercadorias e juntei o meu jeito particular de trabalhar e tem dado certo. Porque “sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Como diria Raul Seixas. E só com a ajuda dos amigos, que ainda hoje me dão maior força nesse projeto pessoal, que me sustenta e gera renda para mim e meus filhos, é que consegui chegar onde estou. E digo: vou ainda mais longe!

Eu encorajo qualquer pessoa a seguir o que acredita. E se não der certo, tente de novo. Porque é disso que é feita a vida: Tentativas! Temos uma grande perspectiva de vida, para que durante nossa trajetória, possamos errar e acertar e assim, evoluirmos sempre.

Como ganhar dinheiro na internet

Eu sou a prova viva de que dá pra ganhar dinheiro na internet e com aplicativos de celular!

Mas…

Se você acha que vai ficar rico utilizando aplicativos ou se valendo de sites na internet, pare de ler agora!

Eu não imagino o perfil das pessoas que podem se dedicar o suficiente e estarem dispostas a realizar tarefas para que isso possa te trazer alguma vantagem. Mas vou relacionar o que eu já consegui pela internet:

  • Amostras grátis de vários produtos
  • R$1000 por ano aproximadamente
  • Vale-descontos
  • amizades
  • lanches grátis (muitos)
  • Viagem com tudo pago
  • Celular Nexus 4

Eu comecei a pesquisar por esse tema em 2004 quando comecei a usar internet e de lá pra cá já descobri inúmeras formas de se ganhar uma grana extra. Sim, porque é um extra e não uma fonte de renda principal. Mas existem várias formas de se fazer isso, algumas levam um tempo enooooorme.

A primeira coisa que fiz foi começar a me cadastrar nos sites de pesquisa: Livra, Toluna, globaltestmarket, heap up entre outras.

Numa dessas pesquisas eu fui selecionada para ir num evento da LG e viajei com tudo pago, fiquei no Hotel Hilton em SP por 3 dias e ganhei R$500 e um celular Nexus 4. Foi sorte, mas foi uma questão aplicação e seriedade de encarar essas pesquisas. Não respondo pesquisas mentindo nem querendo me dar bem. Respondo com convicção do que eu estou fazendo. Realmente tenho opinião sobre produtos e serviços. Afinal de contas, meu primeiro emprego de carteira assinada foi trabalhando num SAC.

Esses sites de pesquisa premiam ou em descontos, ou em vales compras, ou em produtos ou em dinheiro (Para transformar essas premiações em dinheiro, normalmente você tem que ter uma conta no paypal vinculada a uma conta corrente para que você possa transferir o dinheiro e poder sacar. Se não estiver vinculada a uma conta corrente ou umcartão de crédito,você ainda pode usar seu saldo do Paypal para comprar coisas em alguns sites.

O ruim de você ter cadastro em um monte de sites, é que seu cpf fica registrado em tudo quanto é lugar, então se você morre de medo de fraudes, isso não é para você.

Existe uma outra forma de ganhar dinheiro: Aplicativos para ganhar dinheiro! Mas esses você tem que ficar usando, e usando, e usando, e compartilhando e baixando coisas, etc. Daí vc faz 45mil pontos para ganhar R$2. Muito cansativo.

E existe uma forma efetiva de conseguir ganhar: Atuar como Cliente Misterioso!

Existem algumas empresas que pagam até R$70 pratas pra você se passar por um cliente comum e avaliar os produtos e serviços de uma determinada empresa. Aí Sim! Algumas vezes você tem que consumir para poder ganhar,mas vale apena quando você recebe o reembolso do que gastou e mais a sua paga. E sua conta corrente fica cheinha de alegria e de dindin. Exemplo de empresas que contratam cliente misterioso: Bureau Veritas, Ipsos, Indigo, bare Internacional.

Aqui você pode ler que é verdade!

Livra Pesquisas

LG

Mais sobre pesquisas

Aqui eu tenho um vídeo que fiz sobre o assunto – Não esquece de dar um jóia e se inscrever no meu canal!

Tags: Como ganhar dinheiro na internet, grana, ganhar, vale presente, brindes, gratis

Ser pobre por prazer

Recebi por email esse texto do Max Geringher, meu guru coorporativo, e achei o máximo ao encontrar o podcast no you tube. Segue o texto e o podcast:

Há determinadas mensagens que, de tão interessante, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente.
Li em uma revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico. Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais.
E assim por diante.
Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis. Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro.
Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer?
Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade.
Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre. Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

 

Com todas essas coisas, pude concluir que apesar de estar numa dureza, eu sou feliz. Realmente tenho boas lembranças e são essas mesmas lembranças de dias bons é que me impulsiona a querer ter dias iguais. Cada centavo ganho e gasto com aquisições, lazer e investimentos com conhecimento foram muito bem gastos e são coisas que nunca vou deixar de fazer.

Perdi minha carteira

Imagina perder sua carteira, no meio de um feriadão? Pois é, acontece. Acontece com qualquer pessoa, mas essa pessoa só podia ser eu.

Aconteceu assim: Eu estou desempregada. Então, para garantir o pagamento das minhas contas, estou fazendo pão de mel por encomenda. Passei a semana toda preparando a encomenda para receber meu dinherinho no domingo de manhã. Grana recebida, coloquei na carteira e saí para fazer a feira de domingo. Ainda me certifiquei se o dinheiro estava lá, coloquei a carteira no bolso e aí.

Da minha casa ao mercado são uns 400 metros. Quando entrei no mercado coloquei a mão no bolso e nada. Voltei correndo pelo caminho que fui e nada, comecei a chorar, fui em casa, revirei as coisas na intenção de encontrar e nada. Peguei dinheiro com minha mãe e voltei ao mercado, pois as coisas tinham que ser compradas para fazer o almoço. Não conseguia pensar, eu era um zumbi do Resident Evil. Eu não tinha cérebro. Eu só pensava no que tinha dentro da carteira. Meus cartões de fidelização que eu guardo meses a fio só pra ter alguma coisa grátis, meus cartões do banco, e os dois cartões que não podem faltar na vida de um pobre: um Riocard e um Guanabara Card.

Fiquei pensando nos cartões de fidelidade. Semanas comprando Yogoberry, e o pior é que é um pra cada loja, porque cada loja tem seu cartão. Meu cartão de fidelidade da Rimauto, onde eu compro peças pro meu chevelho, meu cartão do BenditaFruta porque meu boyfriend odeia Yogoberry, e muitos outros cartões de fidelidade.

Eu nem estava mais fazendo conta da grana, porque essa eu já tinha perdido. Mas eu me dei conta do pior: Minha Habilitação estava lá. Meu Deus! Eu vou ter que, além de perder a grana, gastar grana para ter outra habilitação. E eu já teria que pagar R$8,00 por cada cartão de banco que eu tinha perdido.

Desempregada, fazendo bico, totalmente dura e ainda tenho que gastar. É pior do que ficar doente. Para falar a verdade, nem sei o que é pior.

O bom disso tudo é descobrir que eu escrevo melhor indignada.

Vamos aos procedimentos: Liguei para os cartões de banco, fui tratada como idiota, e descobri que ao contrario dos cartões de crédito, os atendimentos dos bancos nao tem a opção perda ou roubo, somente a opção cancelamento. E com isso você fica igual um joguete, à merce!

Fui à delegacia registrar a perda do documento, e não havia ninguém no balcão da delegacia durante 1h, e não era nem hora de almoço. As pessoas que transitava dentro da delegacia não estavam nem aí para quem estava no balcão. Mas o foco não é esse. Depois de atendida, fui pra casa para passar o restante do meu domingo passando roupa porque quando eu fico triste só me resta trabalhar.

Fim

A violência chegou aqui

Terça-Feira, por volta das 13h30 da tarde, eu tinha acabado de colocar as crianças na condução para ir à escola e estava colocando meu almoço quando ouvimos um tiro. Como foi um tiro só, achei que tinha confundido com alguma coisa, barulho de escapamento ou qualquer outro som parecido. Mas foi um tiro mesmo.

IMG0255A Logo ouvimos o barulho da SAMU chegando. Curiosamente a SAMU chegou antes que eu fosse no portão. Parou no meu portão para socorrer um baleado. Isso mesmo: um baleado, no meu portão. Um homem que trabalha numa das empresas próximo à minha casa (moro numa área comercial do meu bairro) tinha ido sacar R$2.000,00 num banco próximo e foi seguido por dois rapazes que o confrontaram perto da minha casa. O funcionário entregou o dinheiro e correu para a padaria que fica ao lado da minha casa e mesmo assim os bandidos atiraram. Uma pessoa que estava na padaria se atirou derrubando o rapaz e isso evitou um segundo tiro, pois os assaltantes, com medo, montaram na moto e fugiram.

 

Ainda consegui registrar a remoção do homem ferido, que graças a Deus não foi ferido de morte.IMG0254A

Depois de toda essa “emoção” começamos a pensar no “e se”. E se eu ainda estivesse com as crianças no portão? E se eles tivessem sido alvejados? E se tivessem presenciado? Ainda bem que nada aconteceu. Nada mais grave. Foi o dinheiro que se foi, foi um ferimento, mas as sequelas ainda não sabemos.

Cada vez mais estamos expostos à violência. Não sei o que pensar quando saio de casa. Não nego que tenho medo de parar meu carro e abrir o portão à noite. Tenho medo as pessoas estranhas que transitam na minha rua. Tenho medo do meu filho que sai para ir à escola e quero que ele sempre volte. O noticiário cada vez mais dá notícias ruins de fatos aqui no bairro e me sinto cada vez mais refén da violência.

Aúnica defesa que tenho é semear boas ações e bons pensamentos para que esse tipo de ação não se propague, e que a bondade e a caridade sejam tão avassaladores e contagiantes quanto o sentimento de raiva que assola nossa sociedade. Faça sua parte: dê o lugar no ônibus, dê bom dia, dê um sorriso!

 

 

___________________________________

Links relacionados:

violência gratuita

preso no rj: batman – cavaleiro das trevas