Estampas 2018

À primeira vista pode-se achar que as estampas da próxima estação são meio psicodélicas, mas tem algumas outras tendências que estão vindo com tudo nessa próxima estação:
  1. Navy – Para quem não sabe, navy é tudo que se remete a marinheiro, navios. Então azul, vermelho e branco combinados vão fazer a cabeça da mulherada.

  2. Vichy – Aquele xadrez preto e branco, nas mais diferenciadas padronagens e gramaturas.

  3. Folhagens – Folhas, folhas e mais folhas. Pequenas grandes, variadas. E também seres sensacionais e icon print em geral.

  4. Listras – Nos tons pastel, navy, e padronagens étnicas vão ser sucesso certo.as-listras-sao-tendencias-da-moda-primavera-verao-2018

  5. Bichos tropicais – Esquece o abacaxi, o lance que vai bombar é araras, tucanos e bichos tropicais em geral. Como icon print e como estampas grandes.

Então, se joga no nosso brechó que temos peças com todas essas trends do próximo ano!
Porque brechó, é a moda que sempre volta!!!!
Um brinde do nosso blog: Catálogo de estampas 2018 em pdf! Dica de vídeo no You tube: Camila Gaio!

 

Anúncios

Brechó é Vida

Texto escrito por Gisa Pereira:

logotipo-logomarca-para-brecho.png

Falando sobre Brechó…❤️

Um grupo de mulheres se encontrava aos sábados na estação de trem de Madureira para fazer vendas e trocas de roupas. Esse grupo cresceu muito e à estação ficou pequena.
E assim começou a proliferação das feiras de brechó…

Da estação de Madureira para o Rio de Janeiro, é assim que tem sido.

Bazar do Méier, cufa, parque de Madureira, Império, campo Grande, Cachambi, Praça de Cascadura…
É a moda sustentável invadindo a cidade. E tudo isso começou ali, naquele aperto.
Nós começamos tudo isso. 😍

Eu penso que seja ótimo ter várias opções de bazar. Mais oportunidade de emprego, mais oportunidade pra quem quer se vestir bem e gastar muito pouco.

Estamos quebrando preconceitos.
As pessoas estão conhecendo um brechó com nova cara, uma cara mais jovem.
Estão começando a entender que o brechó de hoje é muito diferente daquele de antigamente, que terno do tataravô não está mais a venda 😂

Nesse sábado dia 06/05 acontecerá em Madureira 3 eventos de brechó quase que simultâneamente.
Sabe o que isso quer dizer?
São mais de 400 mulheres complementando a renda da família com o dinheiro que vem das feiras, algumas vivem somente disso. São milhares de pessoas tendo a oportunidade de comprar roupa de qualidade por um preço acessível (convenhamos que o valor das lojas já não cabe mais no orçamento familiar faz tempo).
São crianças saindo felizes com aquele brinquedo.

Brechó é sustentabilidade. Vamos respeitar (vamos nos respeitar) 😉

Ainda acrescento… BRECHÓ É VIDA ❤️

GirlBoss – Não é tão fácil assim

girlboss

Há dois anos atrás, em meio um turbilhão de problemas, me caiu no colo a oportunidade de ter meu próprio negócio. Ganhei um saco de coisas de minhas amigas e dei meu primeiro passo em direção à minha liberdade. Ledo engano quem pensa que é moleza. Ledo engano de quem pensa que é uma delícia ficar sem saber se vai conseguir vender, se é mole levar calote, se é divertido não saber se as contas vão fechar no fim do mês.

Porque o mês, para quem trabalha por conta própria, nunca tem fim.

Montei meu brechó, vendo, por meio de marketplaces, redes sociais e tenho minhas clientes fiéis. Atendo na minha casa para algumas clientes VIP. Isso não é tudo. Eu faço cursos de gestão, contabilidade, recolho fisco, declaro imposto, tenho cnpj e cuido de tudo como um negócio real. Porque é meu negócio. É isso que eu faço: Bazar é minha vida. Estou ligada em oportunidades, pessoas, eventos, todo o tempo.

Comprar e vender, não é uma modinha pra mim. Comprar e vender é uma coisa séria. Prazo, apresentação, embalagem, qualidade. Eu cuido com cuidado do que estou apresentando, com o carinho de quem está recebendo. Porque eu recebo das minhas clientes o mesmo amor com o que entrego minhas peças.

Assistindo a série Girlboss no Netflix, me pareceu muito fácil ter um negócio de brechó, mas não é. Você tem que ir atrás do cliente, não é fácil como nos Estados Unidos, viver de brechó no Brasil. Mercado superlotado por pessoas sem qualificação e sem preparo que vêem no ramo somente uma oportunidade na crise. E também nos deparamos com pessoas preparadas que estão no ramo há muito tempo e que já conquistaram seu espaço. É entre essas pessoas que eu quero estar.

Eu, não preciso, nesse momento da minha vida de ninguém que seja um degrau pra mim, porque eu consigo subir sozinha, mas ter parceiras para concretizar essas ambições é maravilhoso.

Quando começar um negócio, pesquise. Informe-se, qualifique-se, prepare-se. Conhecimento nunca é demais. Ter um negócio é preciso dedicação e persistência. Eu espero ter muito mais anos de história com o meu brechó. Mas fácil? Fácil não é!

Como fazer uma pausa no trabalho

Amanhã é greve geral. E eu aqui morrendo de tédio. Cheguei ao ponto da minha vida, que só estou tranquila quando estou enlouquecendo de trabalho. Sei que preciso pegar leve, relaxar. Mas trabalho por conta, mato um leão por dia. Não consigo me dar ao luxo de esperar um dia passar para pensar em uma nova possibilidade, em uma nova negociação, em uma outra forma. Estou em Constante planejamento. 

Uma pausa para o café, é motivo para vislumbrar uma nova ideia, uma nova conexão para uma transação, um novo negócio. Enfim. Uma hiperatividade tão gigante, que num fim de dia de chuva, onde não há muito o que fazer, eu fico assim. Carente de trabalho. 

Não que eu não tenha o que fazer, mas é que sentar e assistir uma tv, me parece tão relaxante que não me atende. Quero estar em movimento, buscando, criando coisas. Sinto como se estivesse levemente procrastinando. Mesmo sendo​ minha própria chefe. Não me permito relaxar, tenho medo de amolecer. É preciso produzir, fazer, vender.

Mas o que se há de fazer. Vou aproveitar esse tempo para o ócio criativo. E traçar novas metas, novos planos B. Porque a gente pode não ter grana, mas conhecimento, vai se buscando.

Ah, essa minha vida empreendedora maravilhosa. #vida #trabalho.

Acredite em você e seja feliz!

Pela primeira vez na minha vida estou totalmente convicta da minha decisão!

Trabalhar com o que gosta, amar o que se faz é um fator muito importante para a felicidade. E é isso que todos buscam, no final das contas. Ser feliz! Hoje, eu sou brecholeira!

Eu sempre acreditei nesse meu sonho, mas nunca tive garra suficiente para investir bravamente nisso. Mas as adversidades me deixaram mais forte! Antes, eu acreditava muito que só conseguiria controlar meu dinheiro se trabalhasse de carteira assinada. Tinha dificuldade de juntar dinheiro se ele chegasse a conta gotas.

Hoje, meu dinheiro pinga de R$5 em R$5 reais e consigo administrar bem, pagar as contas e alimentar meus sonhos e meus filhos.

Existem várias formas de conseguir satisfação profissional. Estudando para um concurso, sendo promovido, atuando com seus conhecimentos de ofício ou dando vazão ao que acredita. No meu caso foi isso. Aliei a necessidade com a oportunidade e consegui investir em uma coisa que sempre quis fazer, que é trabalhar com brechó.

Ouvi muitas pessoas do ramo, aprendi a conseguir boas mercadorias e juntei o meu jeito particular de trabalhar e tem dado certo. Porque “sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só. Mas sonho que se sonha junto é realidade”. Como diria Raul Seixas. E só com a ajuda dos amigos, que ainda hoje me dão maior força nesse projeto pessoal, que me sustenta e gera renda para mim e meus filhos, é que consegui chegar onde estou. E digo: vou ainda mais longe!

Eu encorajo qualquer pessoa a seguir o que acredita. E se não der certo, tente de novo. Porque é disso que é feita a vida: Tentativas! Temos uma grande perspectiva de vida, para que durante nossa trajetória, possamos errar e acertar e assim, evoluirmos sempre.

Vendedora de Bazar – Eu sou!

WP_20150805_001Há algum tempo eu tenho utilizado meus dotes artesanais fabricando objetos oriundos de material reciclável. Mas devido à aceitação, tenho incrementado minha banca com objetos meus. Agora, eu estou declaradamente incluindo itens de brechó no meu bazarzinho.

Optei por montar minha banca num ponto fixo durante 3 dias da semana, para poder ter tempo para ir a outros lugares garimpar novas peças para vender. Há muito tempo quero ter umPhotoGrid_1431229554039 brechó e estou me sentido muito bem administrando o meu.

Me lembro que em 2005 eu coloquei várias peças minhas em uma bolsa e criei o brechó itinerante. Mas com meus poucos dotes para venda não fiz sucesso, mas já tive várias tentativas. Agora que tenho uma página no Facebook do meu bazar vou passar a publicar as peças lá e facilitar a negociação.Aceito cartão. Então quando surgir feirinhas interessantes vou participar, mas tive uma primeira experiência não tão boa. Mas bola pra frente. Hoje é o primeiro dia da minha banca fixa e estou ansiosa.

Tenho tido o maior cuidado em higienizar as peças, passar, procurar novas idéias para fazer artesanatos, tenho garimpado retalhos bonitos e diferentes e recebido doações de peças jeans que não estão boas para uso, PhotoGrid_1430771246198porque é delas que faço a maioria das minhas peças artesanais. Fabrico todo tipo de coisa e procuro estar sempre aprendendo novas técnicas para criar mais e mais peças.

Faço bijouterias, caixas para guardar, gaveteiros, porta lápis, porta lenço, enfim, uma infinidade de coisas que aprendo pela internet e me desdobro entre meus afazeres domésticos que não são poucos para poder complementar a renda nesses dias tão difíceis de crise declarada na economia que estamos vivendo. Então, se você é do meu bairro, me procure que vou ter pecinhas lindas para oferecer!

Cá está o link para minha página no Facebook!

Abaixo você pode acompanhar como foi um sábado de trabalho:

A moda da roupa velha

Não sou grande entendedora de moda, nem tenho roupas de griffe. Mas uma coisa que aprendi desde pequena, é que quem anda sujo, roto ou desbotado é mendigo.

Daí que tenho uma amiga que vive jogando ao vento que se veste muito bem e ela e o seu namorado, (que não enxergam muito bem as pessoas e o que elas são, e sim o que elas têm) se vestem de roupas caras e da moda. Ela fez aniversário. Durante a festa percebi que seu namorado estava com uma blusa queimada, como se fosse um queimado à ferro, e o plastico do decalque todo roto.

Fiz o seguinte comentário: “Poxa amiga, vocês falam tanto que compram blusa-rasgada-2roupas caras. Porque deixou seu namorado vir com essa roupa rasgada na sua festa?”

Como resposta eu recebi: “Rasgada? Aquela blusa custou R$200,00”

Pois fiquei eu boquiaberta com a resposta, pois nem no brechó onde eu compro roupas, eu compro roupas assim. Depois percebi que existe uma “tendência” a se usar roupas de mendigo, que por serem de etiqueta, são, na verdade, um artigo de luxo.

2010-10-28_145856 cópia

Inclusive celebridades usam roupas rotas e são muito conceituadas. Mas eu me pergunto, que conceito tem uma roupa rasgada? Nos anos 80 elas marcavam subversividade, nos anos 90 representavam rebeldia sem causa, e agora, nos anos 10, ela marca o que?

Em meio à feirinhas e brechós, eu nunca me deparei com roupas manchadas, rotas, rasgadas ou desbotadas. Por esse valor (R$200,00) eu compro coisas lindas e fico bem elegante.

Que fique claro, cada um veste o que quer, mas numa época em que sustentabilidade é a palavra da ocasião, pode-se valer de roupas em péssimo estado em qualquer lugar: E de graça!

7651-camisa-xadrez-manchada-wolnner-r-210-637x0-3