Diário de uma desempregada: dia 4

Volto hoje a contar uma das minhas peripécias em busca de emprego, abrindo um adendo de que,jobsearch-main_full nesse período assolado pelo fantasma do desemprego, estou vendendo De Millus, Tuppeware e Natura. Então se você, leitor se interessar em dar uma forcinha na minha renda, procure-me!

Mas vamos seguir com a história. Mesmo panfletando meu currículo nos grupos de emprego e avisando os amigos para ficarem alertas para qualquer surgimento de oportunidade, somente hoje fui convidada para uma entrevista.

Pois lá fui eu, acordei de madrugada, fiz as unhas e o cabelo para causar boa impressão, tomei um parco café e às 6h40 já estava na condução. Eu teria que me apresentar às 9h, então estava de bom tamanho. Sorte eu ser previdente, peguei um engarrafamento monstruoso por conta de um acidente na Av. das Américas e acabei chegando na entrevista com somente 15 minutos de antecedência. Já cheguei preocupada. Quando entrei, dei de cara com umas 25 meninas, todas ansiosas como eu.

As empresas de RH não costumam dizer muito sobre onde vamos trabalhar e outras informações sobre a empresa fim, mas eu já nem estranho, procuro ficar sempre na minha. Depois de responder umas 200 perguntas acerca do meu comportamento, fazer uma redação sobre minha família, etc, etc, a responsável eliminou algumas meninas. Ufa! Fiquei!

Você se sente caindo num funil, e o pior é que você não sabe com qual qualidade você está competindo, se é beleza, se é conhecimento, se é formação. Não há uma descrição específica sobre qual é o diferencial.

Se é ter feito trabalho voluntário, se é ter fortes valores morais ou saber falar inglês. É como estar numa tempestade de areia. Você não sabe se o que vem na sua direção é um galho, uma bicicleta ou um espelho. Você não sabe como reagir.

Assim como as auto-escolas ensinam a fazer a prova do Detran e não a dirigir, deveriam existir auto-empregos, para fazer cursos de como driblar os selecionadores e passar numa seleção. Falando em auto-escola, os testes que se seguiram englobaram até psicotécnico, acho que eles não querem contratar nenhuma secretária maluca! Deve ser mesmo complicado uma secretária neurótica! Pediram até o meu Orkut!

Eu me sinto capaz de realizar qualquer função, de fazer qualquer coisa! Mas não sou eu quem escolho, né! Deveria ser o contrário. Mas eu sou brasileira!

Falando nisso, a Copa vem aí!

_________________________________________________________________

Sei que estou devendo um post falando da roupa que eu fiz pro evento, mas deu pano pra manga!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Diário de uma desempregada: dia 4

  1. Oi moça … Sempre acompanho seus post e gosto muito da maneira como vc escreve ! TE desejo muita sorte para q vc consiga algo que você goste de fazer e que lhe proporcione satisfação, não só a monetária!
    Se tiver interesse em aumentar sua renda, posso te indicar a Mary Kay …que sao produtos que eu vendo de beleza e etc… Eu simplesmente AMO ser consultora… o lucro é bom, o apoio da empresa, os brindes..tuuudo é uma maravilha.
    Se tiver interesse fale comigo : dayanekz@gmail.com

    BEijos !
    Boa sorte

    Curtir

  2. Pingback: Diário de uma desempregada 5 « Drops da Dani

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s