Você conhece a história do Brechó?

Origem da palavra brechó: “No século 19, um mascate chamado Belchior ficou conhecido no Rio de Janeiro por vender roupas e objetos de segunda mão. Com o tempo o nome se transformou por corruptela em “brechó”, que acabou sendo traduzido por ‘segunda mão’”.

Dizem que os brechós têm sua origem nos mercados de pulgas da Europa, onde se podia comprar e vender praticamente tudo. As feiras aconteciam ao ar livre e como as peças eram usadas e não havia lá muita preocupação com a higiene, animais como pulgas não eram incomuns, daí a origem do nome “mercado de pulgas”.

As primeiras lojas de segunda mão no mundo surgiram no século 19 e se tornaram populares com as crises produzidas pela 1ª e 2ª guerras mundiais, principalmente através da Cruz Vermelha com a venda de produtos doados a preços bem acessíveis. Desde então, não perderam mais o seu apelo, fosse para ajudar os pobres, ou como um negócio para vender produtos a baixo custo.

No Brasil, a origem da palavra “brechó” é bem peculiar. Também no século 19, no Rio de Janeiro, surgiu uma loja de artigos usados chamada Casa do Belchior. A crescente popularidade do local fez com que o nome Belchior fosse associado a estabelecimentos que vendiam produtos usados e antigos (até Machado de Assis usou a expressão “loja de belchior” em um de seus contos). Com o passar do tempo a palavra sofreu um processo de mudança e se adaptou a “brechó”, dando origem ao novo termo.

o entanto, a ideia por trás das lojas de segunda mão não é mais a mesma. Elas evoluíram e hoje não só produtos usados podem ser vendidos, mas peças novas também são bem-vindas. Os cuidados são maiores com a qualidade e limpeza das peças, surgiram os brechós online e, em relação a alguns artigos, preços e valores também mudaram. Para cima.

Hoje os brechós são os grandes queridinhos da moda. Há uma enorme valorização das peças antigas no universo fashion, assim como nas artes e no design, com a entrada de roupas, sapatos, bolsas e acessórios datados, de grifes famosas. Essa é outra novidade dos brechós, e se chama vintage. É vintage, por exemplo, um vestido assinado por Yves Saint Laurent, uma carteira Gucci, uma bolsa Channel. E por aí vai. Isso é brechó!

Anúncios

Estampas 2018

À primeira vista pode-se achar que as estampas da próxima estação são meio psicodélicas, mas tem algumas outras tendências que estão vindo com tudo nessa próxima estação:
  1. Navy – Para quem não sabe, navy é tudo que se remete a marinheiro, navios. Então azul, vermelho e branco combinados vão fazer a cabeça da mulherada.

  2. Vichy – Aquele xadrez preto e branco, nas mais diferenciadas padronagens e gramaturas.

  3. Folhagens – Folhas, folhas e mais folhas. Pequenas grandes, variadas. E também seres sensacionais e icon print em geral.

  4. Listras – Nos tons pastel, navy, e padronagens étnicas vão ser sucesso certo.as-listras-sao-tendencias-da-moda-primavera-verao-2018

  5. Bichos tropicais – Esquece o abacaxi, o lance que vai bombar é araras, tucanos e bichos tropicais em geral. Como icon print e como estampas grandes.

Então, se joga no nosso brechó que temos peças com todas essas trends do próximo ano!
Porque brechó, é a moda que sempre volta!!!!
Um brinde do nosso blog: Catálogo de estampas 2018 em pdf! Dica de vídeo no You tube: Camila Gaio!

 

Se trata de fazer a diferença

Eu não conheço tudo. Não sou formada, não tenho um diploma. É isso é uma coisa que realmente me incomoda. Mas sou muito feliz de uma maneira geral. Sou feliz quando uma pessoa admira tanto meu conhecimento por alguma coisa, que mesmo tendo um diploma, vem me consultar. Eu fico muito feliz de dividir conhecimento, de ajudar alguém a realizar alguma coisa. Eu me sinto muito realizada quando percebo que tornei o dia de alguém melhor. Eu acho que é isso que nos torna melhores. Não é sua ocupação, ou sua conta bancária, ou quanto você pode comprar que te torna uma pessoa, uma pessoa feliz, uma pessoa importante. Porque isso, qualquer um que consiga dinheiro pode fazer. Mas fazer a diferença na vida de alguém, ser caridoso, humano, empático, isso só as pessoas especiais fazem. Eu me sinto uma dessas pessoas. 

Então, podem tentar me diminuir por eu não ter um diploma, ou por eu não ter uma profissão ou um emprego, ou ainda, por eu não te dinheiro, porque eu tenho uma coisa que talvez você não tenha: amigos, amor, humanidade!
Um bom fim de semana. #maisamorporfavor

O que é Boho? Dicas de Estilo

O termo vem de “bohemian of soho“, um movimento francês que surgiu em Nova York nos anos 20 entre um grupo de intelectuais que misturavam arte e moda. Nos anos 60/70 em Londres o estilo Boho ficou bem popular, especialmente no bairro Soho (sim, um bairro com o mesmo nome só que londrino). Aos poucos o estilo Boho foi ganhando novas referências, como o estilo hippie dos anos 60 com uma pitada de tribal e étnico. A partir de 2003 o estilo voltou a ser inserido na moda, em festivais de Música como o Lollapalooza e Coachella dos EUA. Depois de um tempo ganhou a versão Boho Chic, que é a mistura de peças boho com peças mais chiques, de marcas mais conceituadas, e o uso de salto alto, calças de couro, etc. Porque na moda vale tudo!

Dicas para mergulhar no estilo:

Botas de couro estilo Uncle boot, e sandálias gladiadoras, acessórios com pedrarias. O estilo explora muito elementos artesanais, bolsas, chapéus, pulseiras. Franjas!

estilo-boho-chic-style-celebs

Tecidos floridos, com floral miúdo, estampas geométricas de fundo escuro, batas de algodão e longos esvoaçantes mesclados com peças de couro e jeans. Coletes.

estilo-boho-chic-elementos-1

Um visual que costuma transmitir personalidade, podendo misturar peças simples com luxuosas, sempre mantendo o conforto como essência, blusas do tipo bata, saias longas, vestidos de tecidos bem leves e esvoaçantes, e estampados, principalmente com temas étnicos, somados a botinhas, bolsas de franjas, um mix de várias pulseiras e anéis, geralmente feitos com material natural como penas, madeira, pedras e metais. O jeans também está presente, na calça pantalona e no short curto bem detonado.

Como o estilo nasceu em eventos que acontecem durante o verão, os chapéus eram itens essenciais para compor o look. O mais desejado é o modelo Floppy, o grande ícone hippie, de abas grandes e de feltro preto ou marrom.Outra alternativas são as headbands, tiaras fofas e femininas que também compõe o estilo gypsy, ou cigano contemporâneo, já que o Boho teve raízes nos elementos da cultura cigana que também foram adotados pelos demais movimentos do estilo boêmio. Todas essas peças maravilhosas você pode encontrar facilmente em grifes específicas por valores absurdos, ou pode encontrar facilmente garimpando em brechós! (Porque brechó é a moda que sempre volta!)

Para se inspirar, fique de olho nas gêmeas Ashley e Mary Kate Olsen!

 

Para usar no dia a dia , aposte em peças neutras ou jeans e aplique elementos do estilo, como blusas, vestidos e acessórios!

 

 

Brechó é Vida

Texto escrito por Gisa Pereira:

logotipo-logomarca-para-brecho.png

Falando sobre Brechó…❤️

Um grupo de mulheres se encontrava aos sábados na estação de trem de Madureira para fazer vendas e trocas de roupas. Esse grupo cresceu muito e à estação ficou pequena.
E assim começou a proliferação das feiras de brechó…

Da estação de Madureira para o Rio de Janeiro, é assim que tem sido.

Bazar do Méier, cufa, parque de Madureira, Império, campo Grande, Cachambi, Praça de Cascadura…
É a moda sustentável invadindo a cidade. E tudo isso começou ali, naquele aperto.
Nós começamos tudo isso. 😍

Eu penso que seja ótimo ter várias opções de bazar. Mais oportunidade de emprego, mais oportunidade pra quem quer se vestir bem e gastar muito pouco.

Estamos quebrando preconceitos.
As pessoas estão conhecendo um brechó com nova cara, uma cara mais jovem.
Estão começando a entender que o brechó de hoje é muito diferente daquele de antigamente, que terno do tataravô não está mais a venda 😂

Nesse sábado dia 06/05 acontecerá em Madureira 3 eventos de brechó quase que simultâneamente.
Sabe o que isso quer dizer?
São mais de 400 mulheres complementando a renda da família com o dinheiro que vem das feiras, algumas vivem somente disso. São milhares de pessoas tendo a oportunidade de comprar roupa de qualidade por um preço acessível (convenhamos que o valor das lojas já não cabe mais no orçamento familiar faz tempo).
São crianças saindo felizes com aquele brinquedo.

Brechó é sustentabilidade. Vamos respeitar (vamos nos respeitar) 😉

Ainda acrescento… BRECHÓ É VIDA ❤️

GirlBoss – Não é tão fácil assim

girlboss

Há dois anos atrás, em meio um turbilhão de problemas, me caiu no colo a oportunidade de ter meu próprio negócio. Ganhei um saco de coisas de minhas amigas e dei meu primeiro passo em direção à minha liberdade. Ledo engano quem pensa que é moleza. Ledo engano de quem pensa que é uma delícia ficar sem saber se vai conseguir vender, se é mole levar calote, se é divertido não saber se as contas vão fechar no fim do mês.

Porque o mês, para quem trabalha por conta própria, nunca tem fim.

Montei meu brechó, vendo, por meio de marketplaces, redes sociais e tenho minhas clientes fiéis. Atendo na minha casa para algumas clientes VIP. Isso não é tudo. Eu faço cursos de gestão, contabilidade, recolho fisco, declaro imposto, tenho cnpj e cuido de tudo como um negócio real. Porque é meu negócio. É isso que eu faço: Bazar é minha vida. Estou ligada em oportunidades, pessoas, eventos, todo o tempo.

Comprar e vender, não é uma modinha pra mim. Comprar e vender é uma coisa séria. Prazo, apresentação, embalagem, qualidade. Eu cuido com cuidado do que estou apresentando, com o carinho de quem está recebendo. Porque eu recebo das minhas clientes o mesmo amor com o que entrego minhas peças.

Assistindo a série Girlboss no Netflix, me pareceu muito fácil ter um negócio de brechó, mas não é. Você tem que ir atrás do cliente, não é fácil como nos Estados Unidos, viver de brechó no Brasil. Mercado superlotado por pessoas sem qualificação e sem preparo que vêem no ramo somente uma oportunidade na crise. E também nos deparamos com pessoas preparadas que estão no ramo há muito tempo e que já conquistaram seu espaço. É entre essas pessoas que eu quero estar.

Eu, não preciso, nesse momento da minha vida de ninguém que seja um degrau pra mim, porque eu consigo subir sozinha, mas ter parceiras para concretizar essas ambições é maravilhoso.

Quando começar um negócio, pesquise. Informe-se, qualifique-se, prepare-se. Conhecimento nunca é demais. Ter um negócio é preciso dedicação e persistência. Eu espero ter muito mais anos de história com o meu brechó. Mas fácil? Fácil não é!